domingo, 31 de dezembro de 2006

Doze passas


Contadas as badaladas,
No fim de cada ano,
Ficam as bocas caladas,
Não vá a sorte pelo cano.


Doze bagos de passas,
Exemplo de Malvasia,
Um desejo às pressas,
Dá sorte e não azia.


sexta-feira, 29 de dezembro de 2006

Trasfega


Durante a vindima
O grande momento,
A minha rica prima
Sempre no pensamento.


É desta maneira,
Mosto a trasfegar,
Está cheia a mangueira
É um tal aviar.


Cuidado ao aliviar
Nem uma mosca lhe toque,
Trasfega liberta ar
Na pipa o batoque.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

Vinho que deixa memória




Castas e famílias
Verdelho a primeira,
Ramo de Ampelídeas
Vitis derivou videira.

Verdelho da persistência
Encontrei nos Açores,
Um vinho da resistência
Aquecedor d'amores.

Biscoitos!Ilha Terceira
Bom vinho lá provei,
Não a vez derradeira
P'ró avião atrasei,
Prometo que lá voltarei
Onde este vinho comprei.


DA RESISTENCIA é um vinho que já granjeou alguma simpatia, uma palavra que explica tudo, atraindo as mais delicadas e finas sensibilidades em conexão com a degustação.
Pela diferença ao encontro da originalidade dos espíritos que se não devem combater, assim como a do gosto, pois esta é uma potência invisível e misteriosa à qual é difícil resistir.Este vinho de mesa branco é no seu trato que adquire a delicadeza, a graça, o perfume encantador da natureza. A sua nobre missão atravessa os nossos mais apurados sentidos com a égide protectora do sossego manter a harmonia entre homens e mulheres, a moderação nos prazeres, num humor fácil e independente.


As sensações das nossas línguas são mais filhas do prazer, as do Noroeste da ilha Terceira, da necessidade: línguas de lava (duas Fajãs: a da Salga e a do Porto da Cruz) donde vides da Verdelho dos Açores ainda resistem aos tributos que a vaidade e a moda impõem.

Uvas escolhidas



De peles finas e aveludadas
Outras grossas de trincar,
Vermelhas ou brancas apreciadas
Cada uma com o seu paladar.
Na boca de lábios quentes
Um convite para amar
N'uma noite infernal,
Bagos d'uva ardentes.




segunda-feira, 25 de dezembro de 2006

O vinho



O sumo da uva - eis do que se faz a bebida chamada vinho. E esta bebida, quando é feita de uva de alta qualidade, seleccionada, é excelente para a saúde, e a saúde, deve ser cuidada como se fora uma criancinha.

domingo, 24 de dezembro de 2006

Verdelho dos Açores - Características Morfológicas

Verdelho dos Açores


Verdelho dos Açores

Classificação U.E./I.V.V. - Casta recomendada

Características Morfológicas
Parte terminal da folha - Aberta, branca, carminada desvanecida.
Folha adulta -Tamanho médio a pequeno, cor verde e com algum empolamento.
Cacho-Pequeno e fechado.
Bago-Pequeno, oval, dourado, com grainha visível.
Porte-Semi erecto
Vigor-Médio

Características fenológicas
Data de abrolhamento-Primeira quinzena de Março.
Data de floração-Primeira quinzena de Maio.
Data de pintor-Segunda quinzena de Julho.
Data de maturação-Segunda quinzena de Agosto.

Características culturais
Afinidade com porta enxertos - Boa -R 99, 116/17 e R 110
Poda-Vara e talão.
Rendimento-Casta com baixo rendimento(0,6 a 1,0kg)

Comportamento quanto a doenças
Míldio-Moderadamente sensível.
Oídio-Sensível.
Podridão-Pouco sensível.
Algodão-Sensível.
Erinose-Muito sensível.




sábado, 23 de dezembro de 2006

Uvas loiras




Nascidas da lava

uvas loiras de bagulho à mostra,

Criadas na terra brava

sedutoras e insinuantes,

Despidas do pedúnculo,

Saboreadas por antigos navegantes,

Pedaços doces de melados pingos

Suaves e arredondados pés

As escacharam em prazer,

É tamanha a excitação,

Sumo de uvas de lamber

em suave fermentação.

Vinho longo degustado,

Afrodisíaco: coito- bis!...Vão à Terceira!

De Baco me tenho lembrado,

Com final de boca e melodia astral,

"Papel de música" de Ilha festeira,

Resquícios do bacanal.