sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Verdelho embaixador dos Biscoitos

A ordem social da República de Cabo Verde assenta sobre a escolha dos homens destinados a mante-la. O silêncio do povo acerca dos seus representantes faz o elogio.
Arnaldo Andrade Ramos, Embaixador da República de Cabo Verde em Portugal, durante a sua estada na ilha Terceira,dias 26 e 27 do corrente mês, foi acompanhado pelo Cônsul Honorário de Cabo Verde nos Açores Jácome de Bruges Bettencourt e Grão Mestre da Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos ficando rendido à paisagem do litoral biscoitense: as rochas basálticas e a paisagem vitícola. Visitando também o Museu do Vinho da Casa Agrícola Brum Lda., onde teve a única oportunidade de provar uvas da Verdelho e degustar os vinhos daquela centenária Casa, com base na casta Verdelho.
Um encontro de alto nível entre os Embaixadores de Cabo Verde e dos Biscoitos!
O Embaixador Andrade Ramos é licenciado em Sociologia (ISCTE, Lisboa). Na sua formação académica destacamos ainda os cursos profissionais de Jornalismo , Relações Diplomáticas e Consulares, de História e Ciência Política.

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos


A Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos, criada por escritura em dez de Março do ano de mil novecentos e noventa e três, com a bravura vulcânica de dezoito Confrades no Grau de Fundadores, fazendo jus aos biscoitos, território lávico, identidade duma Região, continua a labutar pelo bem estar da vitivinicultura açoriana e em particular a dos Biscoitos da ilha Terceira, tendo já conquistado o reconhecimento do continente europeu e não só.
Biscoitos, resistência vitícola, frutificando à custa do trabalho e da persistência, lutando contra os novos vulcões europeus de falsas lavas, abraçando as ondas salgadas do Atlântico Norte, curraletas edificadas há cinco séculos, qual marco histórico da introdução da vinha, hino aos povoadores e ao Verdelho, fé em Deus e esperança nos homens de boa vontade, bis... Biscoitos e Verdelho!
Ao êxito alcançado nas pacificas e honradas lides vitivinícolas açorianas do passado, têm vindo a corresponder a Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos, na defesa, promoção,valorização e divulgação do Vinho dos Açores e em particular o dos Biscoitos da ilha Terceira.



A Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos fez-se representar pela Vice Grã Mestre Irene Ataíde no I Capítulo da Confraria Gastronómica da Amadora cerimónia realizada no dia nove deste mês, que reuniu quarenta e duas confrarias, cujas entronizações decorreram na igreja da Amadora.

Efeméride


Hoje dia 27 de Setembro recorda-se a Erupção do Vulcão dos Capelinhos, ano de 1957, que para além dos muitos estragos causados, fez com que muitas famílias deixassem a ilha do Faial.
Fazer um percurso a pé entre o Varadouro e os Capelinhos, é uma das "rotas do vinho"mais impressionantes, diria mesmo única!

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Consumo de bebidas alcoólicas na Ilha Terceira

É de uma pura ignorância(ou inteligência), quando alguns Órgãos de Comunicação Social se referem ao álcool, bebidas alcoólicas ou bebidas espirituosas "venha à cabeça" de algumas notícias o vinho ou a imagem deste num copo a transbordar...
Todos aqueles de educação sensorial bem cultivados, podem tirar um prazer infinito, pois a moderação é a saúde da alma e do corpo.
Mas é necessário que a razão presida aos nossos prazeres se queremos gozá-los puros, sólidos e em paz de espírito, para divulgar o "Consumo de Bebidas Alcoólicas na Ilha Terceira" um excelente trabalho do conhecido economista Dr. Jorge Ávila, do qual extraímos duas páginas e a respectiva capa, esta da autoria de Rodrigo Resendes Flores.
Este trabalho não incluiu a Base da Lajes.
"Consumo de bebidas alcoólicas na Ilha Terceira" infelizmente não foi ainda publicado.Porquê?






Nota: Álcool puro= 96,6 %

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Prodígios da natureza

A natureza é minuciosa nos seus detalhes fazendo na mesma cenoura, criada na ilha Terceira, a representação da mulher e do homem. E da videira doces bagos de Verdelho.








Fotos/arquivo:Luís Mendes Brum

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Uma Luz às escuras!...


Severa!Sentimento violado,
Há inevitavelmente demissões,
Escravo atrozmente torturado,
Gemendo ventre lançado nas prisões,
Por uma Alcatra foi maltratado,
E insultado o peso dos quinhões...
A severa ensina e dá lição,
Cenas, falsidade e indiscrição.


Beleza c'um coração amuado,
Vingativa, cruel, há quantos anos?...
Não lho espanques, está sequestrado,
Lançaste os poderes desumanos,
Que belo exemplo enclausurado...


Só és campeã da extremidade,
Razão de te sentires superior,
Procura saber toda a verdade,
Que importa essa luz ou sua cor!...


Sempre fiel amigo dedicado,
Morador numa Ilha dos Açores,
Com Verdelho foi então baptizado,
Ser-te-á leal para onde fores.





segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Segunda - Feira dos Biscoitos

Biscoitos. 22 de Setembro de 1997.Tourada da 2.ª feira


Ricardo Jorge: o espírito necessário para saber aproveitar uma boa crítica com amor na amizade e na festa brava. A delicadeza das suas palavras, dos seus gestos, das suas acções, dava-lhe uma graça, um encanto inexplicável. A delicadeza era nele a flor da virtude.
A delicadeza é para as almas elevadas um dever tão imperioso como a justiça. É muito difícil encontrarem-se pessoas que façam desinteressadamente algum serviço. A devoção é a origem da tranquilidade do espírito, ela faz suportar a vida e torna doce a morte.
Ricardo Jorge Machado Mendes da Rosa foi nesta segunda-feira dos Biscoitos recordado com saudade, não só como uma autêntica enciclopédia, mas sobretudo pelo exemplo do verdadeiro Amigo.
Ricardo Jorge há muito que recebera um convite, que aceitara, para Presidente do Júri do Concurso do Toiro mais bravo desta tradicional corrida.
A sua ausência física, numa tarde cinzenta, chuvosa, dobrou a minha tristeza, também por não ter ido à apresentação de "Outras Tauromaquias" e assim não ter recebido a última carta que deixara aos amigos. Resta-me a consolação de tamanho êxito e relê-lo em casa vizinha.
Para além do Verdelho dos Biscoitos, que não foi manso, o Toiro mais Bravo foi da Casa Agrícola Rego Botelho.
O Mestre Ricardo, afinal sempre presidiu ao júri!...

"Quem parte leva saudades, quem fica saudades tem".

sábado, 15 de setembro de 2007

"Terceira Discovery" com Verdelho

"Terceira Discovery" reune durante três dias na ilha Terceira um grupo de 7o pessoas ligadas à actividade turística, cultural, política e económica, destacando-se alguns artistas e desportistas como Sara Salgado, Sylvie Dias, Alexandre Silva, Pedro Caeiro, João Garcia, Fagundes Duarte (Deputado dos Açores à Assembleia da República), representantes de divulgação turística, operadores turísticos, agentes de viagens e cerca de 20 Orgãos da Comunicação Social.
Promovido pela ART - Associação Regional de Turismo, com o apoio das empresas de animação turística na Terceira ligadas à produção local de âmbito cultural e da natureza.
Depois do sabor dum banho de mar, na Calheta, o contacto com as curraletas, as uvas, uma prova de Vinho da Verdelho dos Biscoitos e queijos da ilha Terceira no Museu do Vinho da Casa Agrícola Brum Lda., onde lhes foi servido um almoço típico.












sexta-feira, 14 de setembro de 2007

A minha sorte

Para nascer não pedi,
A doença já a vi,
A vida já a vivi,
E com a idade, a compreendi.


Viver,
Vida ter,
Quando a perder,
Me deixará de doer...


Curta ou comprida,
A morte é quem a sabe,
Em qualquer parte,
Vivam a vida!...
Muitas vezes mal compreendida,
A morte?
A morte é que nos tira a vida.


A vida,
É esperança,
Curta ou comprida,
Viver com confiança,
Uma vida merecida,
A morte?
A morte será a minha sorte.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

À vossa com Verdelho


Onze de Setembro chegou o dia,
Dois belos seios erguidos na mente,
Pontas suadas que boca sorvia,
Dois furacões num corpo imponente.


O prazer de quem as sente e as tem,
Sem silicone, mamilos erectos,
Prodígios de grande valor também,
Ardendo em desejos e afectos.


Ainda nenhuma delas caíra,
Embora já dessem muito a mamar,
Risonha esperança que inspira.


Com um bom Verdelho quero saudar,
Nobre Beleza que há muito vira,
E mais excitantes anos desejar.

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Vigia de baleias

Mirante
Miradouro torreão,
darás doravante
À paisagem a tua opinião.


Torreão,
Muralhas altaneiras,
Quantas vezes deitaram a mão
Às canoas baleeiras?


Grande horizonte a observar
Deste torreão, ó miradouro!
Baleias quantas viste no mar
E em terra em coiro?

Muralha a conservar
Pelo passado, pelo futuro,
Tens de continuar
No teu lugar, seguro!












Fotos de uma baleia que deu à costa já sem vida no mês de Maio de 1999.
Porto da Calheta da Freguesia dos Biscoitos- Ilha Terceira.
A caça ao cachalote terminou na ilha Terceira em 1951.

Scrmshaw Tour of Azores Islands

Scrmshaw Tour of Azores Islands esteve no passado dia 14 de Junho no porto baleeiro da freguesia dos Biscoitos e no Museu do Vinho da Casa Agrícola Brum Lda., onde provaram o Vinho Generoso "Chico Maria" e os de Mesa "Donatário" e "DA RESISTENCIA", laborados com as castas (brancas) Verdelho dos Açores e Terrantez da Terceira. A dirigir o grupo de 24 pessoas, esteve o conhecido açoriano da ilha das Flores João Vieira Gomes, investigador, escritor, ocupando actualmente o cargo de consultor no New Bedford Whaling Museum.

domingo, 9 de setembro de 2007

Novo dia


É dia
Amanhece,
O sol aparece,
Começa nova vida,
O pássaro pia,
Num dia que convida,
Num dia que apetece.


Como as cartas dum baralho
depois de baralhadas...
Vão atarefadas
As pessoas p´ró trabalho.


Aos poucos vão acordando
Para um dia começar,
Outras vêm chegando
Do trabalho p´ra descansar.

E o dia
Chega ao fim,
Anoitece,
O sol desaparece,
É a monotonia da vida, assim,
Acontece,
Cada dia amanhece.

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Mais um para a conta...


A meia-noite tinha surgido,
Nova manhã estava cunhada,
Já há muito que tinha nascido,
E a data me foi recordada,
Numa frase: "és...o preferido!"
Ó linda prenda inesperada,
Dois corações, dois nomes iguais,
Olha, não te esquecerei jamais!


Está fermentando o Verdelho,
Mais um ano me está a bater,
Estou assim cada vez mais velho,
Para essas emoções receber.


Amizades já tenho colhido,
A uma não sei o que aconteceu,
Porventura já fui esquecido,
Ou a amizade adormeceu.