quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Ex-líbris báquicos (4)



Georges Goury
D./L.: “Quando on a fermé la porte à l’amour on ouvre celle de la cave” /Hydromel – 1943/1875
D.: Joseph Rénard, (Francês), 1943.
T.: Zincogravura
Colecção: Museu do Vinho da Casa Agrícola Brum

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Confraria dos Sabores Poveiros


Foi constituída a 3 de Dezembro pp na Póvoa de Varzim a Confraria dos Sabores Poveiros, dedicada à divulgação da Pescada à Poveira e à Rabanada Poveira, produtos de excelência, que merecem lugar de destaque na gastronomia tradicional portuguesa.
Foram madrinhas a Confraria do Mar de Matosinhos e a Confraria da Broa de Avintes, que procederam á entronização dos onze Confrades Fundadores, que por sua vez entronizaram como Confrades de Honra, as Confrarias Madrinhas, assim como o Confrade Paulo Sá Machado, entre figuras do maior destaque
Estiveram presentes doze Confrarias. Seguiu-se o almoço de confraternização que reuniu para cima de uma centena de pessoas, onde a pescada e a rabanada foram rainhas.

Fonte: Confraria da Broa de Avintes


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Boas Festas!




Cesária Évora


Missa Evocativa de Cesária Évora, em Angra do Heroísmo

O Consulado da República de Cabo Verde nos Açores, a Delegação da AIPA na Ilha Terceira e a comunidade cabo-verdiana desta ilha mandam celebrar na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, desta cidade de Angra do Heroísmo, no dia 23 de Dezembro, pelas 18h15, uma Missa do 7º Dia do Falecimento de Cesária Évora.

Durante esta celebração serão executados alguns momentos musicais alusivos à inesquecível voz da “Diva dos Pés Descalços”, interpretados por conceituados músicos cabo-verdianos residentes na Ilha Terceira.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Ex-líbris báquicos (3)



José Manuel Barbedo Galhano
n. Porto, 03.11.1902
G.: Pierre Rena Barande, (Francês). 1963.
X.: Xilogravura
Col.: Museu do Vinho da Casa Agrícola Brum Lda.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

PURO SANGUE LUSITANO


No passado dia 30, nas Instalações da Associação Equestre Micaelense, 2 cavalos e 9 éguas PURO SANGUE LUSITANO, submeteram-se a exame para admissão ao Livro de Reprodutores.
Os animais foram julgados pelo Sr. Engenheiro João Ralão Duarte, Juiz e Secretário Técnico da Associação Portuguesa de Criadores do Cavalo Puro Sangue Lusitano.
Na classe de Garanhões o animal mais pontuado mereceu a nota de 71 pontos e é propriedade do Sr. Arq. João Canto Tavares.
Na classe de éguas, duas foram pontadas com a nota de 73.5 pontos, propriedade do Sr. Eng. Luís Barbosa (Caudelaria Barbosa) e Sr. Manuel Da Ponte.
Estas pontuações demonstram um nível de qualidade muito aceitável e o carinho e atenção que os criadores de S. Miguel vem dedicando á sua Criação.MC


domingo, 18 de dezembro de 2011

"Razão de ser"



«Pretendia a Comissão do Império do Outeiro deixar bem vincada, neste 2.º Centenário da erupção vulcânica que fez “rebentar o fogo” entre o Pico e a Serra, a milagrosa intervenção da “sua” coroa que, conduzida então processionalmente até junto das lavas candentes, foi a primeira a chegar e com cuja presença logo a fúria eruptivas se aplacaram, parando as de correr. Conhecedor deste facto incontroverso, el-Rei D. José I mandou publicar um Alvará, determinando que “à Coroa do Império do Outeiro da Cidade de Angra fosse dada a primazia” sempre que conduzida com outras em cortejo.

Por dois modos desejou e vai tentar fazê-lo: Primeiro, reunindo na noite de 15 do corrente, no sue Império, todas as Coroas que as Irmandades ali façam conduzir, para que, rezado o terço em conjunto, todos agradeçam a Deus o milagre de há precisamente 200 anos e renovem, na evocação do Espírito Santo, os votos, sem desfalecimento feitos através dos tempos, para que a protecção divina se estenda sobre as nossas terras e a nossa gente, preservando-as dos castigos que flagelam o mundo e são fruto da impiedade e ingratidão dos homens; Segundo, reatando um propósito que vem já de trinta anos atrás, de fixar na Imprensa certos aspectos da vida terceirense – muitos dos quais, mercê cada vez mais rápida evolução do mundo, hoje mais que nunca tumultuosa, vão perdendo características essenciais, desvirtuando-os na sua essência e no seu real valor – fazer publicar um número especial evocativo das Festividades do Espírito Santo.

Em 1933, no “Jornal de Angra”, fundado por João Ilhéu, num número especial que Maduro Dias dirigiu e foi dedicado ao Espírito Santo, dizia-se na “Razão de Ser”: “É este o primeiro duma série de números em que penso chamar a atenção para certos aspectos da vida terceirense, como o têm feito já alguns dos mais altos espíritos açorianos. Quase todas as nossas datas gloriosas, boas ou más, têm sido lembradas, mas, a par destas, outras há, de modo igual, merecedoras de cuidados, e estas são as dos trabalhos e festas populares de cujo estudo e aproveitamento se pode tirar, a favor da terra, acentuado progresso nos métodos aplicados às artes e ofícios, propaganda turística, larga folha de dados para estudos etnográficos e de carácter social e, ainda, outras coisas que os ausentes destas terra, que são muitos, muito bem sabem apreciar e valorizar. Por sorte abre a série a festa do Espírito Santo. Para estes festejos concorrem as mais antigas usanças terceirenses, trazendo gostosos costumes – vivo e ainda pouco explorado veio para estudiosos. Dado o seu carácter típico, outros não há que melhor agucem o desejo de ser vistos. Finalmente, mais nenhuns conheço tão cheios de cores e modos inspiradores. E neste passo, aos espíritos exigentes para quem um jantar de “função” é pantaguélico, e uma tourada, terço ou coroação do campo, é despiciendo espectáculo, a esses lembro uma coração da cidade”. – (ass.) Maduro Dias”.
Eis pois, a “razão de ser” deste número que “irmãos” e amigos ajudaram a compor.»

A Comissão do Império do Outeiro

In Tradição Popular – Edição do Império do Outeiro -  8 de Abril de 1961.


Pratos do Vulcão aqui

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Concerto de Natal 2011

em Angra do Heroísmo


Promovido pela Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Angra do Heroísmo realiza-se amanhã, dia 16 pelas 18h00, a 7ª edição do Concerto de Natal, no átrio do Palácio Bettencourt, com a participação do Coro Juvenil da Academia Musical da Ilha Terceira que interpretará, sob a direcção da maestrina Alla Lanova, peças de Tomás de Borba, John Ness Beck e Ronald Kauffmann. Ler mais aqui (BPARAH).

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Confraria Nacional do Leite



No passado dia 11 de Dezembro realizou-se, no Museu Municipal de Penafiel, a cerimónia de investidura dos Confrades Fundadores da Confraria Nacional do Leite, com sede na Associação Inter-profissional do Leite e Lacticínios, em Lousada.
A Confraria tem como principais objectivos a promoção, valorização e comercialização do leite português e seus derivados.



A TRANSPARÊNCIA DO TRABALHO

Por: Maduro – Dias

Rua da Guarita

Tenho visto, durante as últimas semanas, em Angra do Heroísmo, um trabalho cuidadoso e bastante bem feito, na calçada norte da Rua da Guarita.
Aquilo que era uma coisa aos altos e baixos está, agora, direitinha, agradável à vista e suave debaixo dos pés. Dá gosto!
Achei interessante, sobretudo, porque o empedrado foi sendo refeito aos olhos de todos, com uma naturalidade enorme e agradável, num convívio entre quem passava - e eram muitos -, quem estava a fazer o serviço - e eram vários -, e as pilhas de pedrinhas a reaproveitar, juntamente com os montes de saibro e as ferramentas.
Reparei noutra coisa: no modo como tanta gente passava sem olhar e, principalmente, sem ver!
Agora, passam-lhe por cima, com a naturalidade da inconsciência, porque há algo mais adiante, no tempo ou no espaço, mais relevante ou urgente.
Não é a primeira vez que encontro essa atitude acerca das calçadas, mas gostava de levar esta reflexão mais longe!
A gente tem sido "treinada", de modo bastante eficaz, diga-se, a não ligar ao trabalho, seja ele físico ou intelectual, simples ou mais complexo, repetitivo ou mais variado, que está por detrás de tudo.
Não é só com as calçadas, é com tudo!
Agora, as coisas como que "nascem", vindas de uma outra dimensão qualquer e tornam-se disponíveis, diante dos nossos olhos, de tal modo que é como se elas não tivessem por detrás de si, toda uma história de organização, trabalho, pensamento, esforço, antes de surgirem.
E não é assim!
Nunca foi assim!
Durante séculos e milénios as comunidades, rurais ou urbanas, souberam e viram, todos os dias, as mãos dos artistas e artesãos fabricarem tudo o que era necessário, diante dos olhos ou muito próximo deles.
Havia ferreiros, sapateiros, pedreiros, tanoeiros, carreiros, telhais, padarias, moinhos, tecelãos, carpinteiros... 
As pessoas estavam, literalmente, rodeadas de actividades produtivas e, desde pequeninas, viam que o leite não nasce nos pacotes, percebiam que o pão vem da farinha trabalhada e do forno, que as mantas e roupas vinham do tear e o fio passava por muitas voltas antes de ficar em condições. Eram capazes de valorizar e considerar um preço justo para cada pedacinho de esforço humano, físico ou intelectual.
Agora chegámos ao ponto de uma criança não perceber porque é que a Branca de Neve se picou no fuso, pois as crianças não sabem (salvo raríssimas excepções) como é um fuso e não conseguem, a partir daí, compreender quão suave teria de ser a pele da princesa para se picar.
Este modo, absoluto, como deixámos de ver, de perceber, de compreender e de integrar os processos produtivos que estão por detrás de cada coisa, no momento em que a compramos, é trágico!
Porque o trabalho não pode ser "transparente"!
Porque é no conhecimento desses processos que está a possibilidade da inovação e do empreendedorismo, tão falados como remédios dos males que nos afligem.

In Azores Digital – 30 de Novembro de 2011

“Calceteiros Angrenses” aqui

sábado, 10 de dezembro de 2011

O “ AMANHECER” do João da Ilha


João da Ilha apresenta hoje, dia 10 pelas 21h00, na Casa da Baía, em Setubal, o album "Amanhacer".

“ AMANHECER é o primeiro disco oficial de João da Ilha, constituído por dez músicas originais e uma versão de homenagem a autores açorianos. Após um EP de cinco músicas, apresentado em 2009, este é o passo natural de um projecto que se afirma num estilo próprio, e que faz questão de cantar a língua portuguesa, integrando diversas influências que culminam numa sonoridade acústica, calma e sobretudo viajante… É música do Atlântico!” Ler e ouvir mais aqui (http://www.joaodailha.com/sobre/ ).


sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

TVI24 - Gonçalo Ribeiro Telles, Política Mesmo



“A Paisagem Açoriana dos Biscoitos” 
por Gonçalo Ribeiro Telles » aqui

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Presépio Paz na Terra



Numa iniciativa do Núcleo de Estudos Açorianos / Secretaria de Cultura e Arte da Universidade Federal de Santa Catarina é inaugurado amanhã, dia 9 de Dezembro, na Praça da Cidadania da UFSC (Brasil) o “Presépio Paz na Terra” com figuras em tamanho natural, um trabalho dos artistas plásticos Osmarina, Paulo e Paulo Andrés Villalva, que utilizaram materiais de referência da cultura açoriana em Santa Catarina.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Produção de vinho nos Biscoitos em 2011


Cerca de 45 viticultores produziram, este ano, 20.400 litros de vinho branco e 34.700 litros de “vinho de cheiro” (“tinto”).

A região, não marcada, dos Biscoitos aqui colheu no ano de 2010 cerca de 9. 500 litros de vinho branco e cerca de 24.500 litros de “vinho de cheiro” (“tinto”).


Adegas dos produtores/engarrafadores biscoitenses:

Adega de Avelino Rocha Rodrigues 
Adega Simas de Rufino Simas
Adega de José Manuel Cardoso
Adega de José Manuel Sousa


domingo, 4 de dezembro de 2011

HOMENAGEM A GONÇALO RIBEIRO TELLES

A Fundação Calouste Gulbenkian e o Centro Nacional de Cultura organizam no próximo dia 6 de Dezembro uma sessão de homenagem e reflexão dedicada ao Arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles.

PROGRAMA:

Organização – Aurora Carapinha


6 DE DEZEMBRO DE 2011
FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN • AUDITÓRIO 2

09h30 – ABERTURA

Guilherme d’Oliveira Martins, Presidente do Centro Nacional de Cultura

Emílio Rui Vilar, Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian

10h00 – O HOMEM

António Barreto – Eduardo Lourenço – Guilherme d’Oliveira Martins

11h15 – Pausa café

11h35 – O POLÍTICO

Augusto Ferreira do Amaral – Luís Coimbra – Diogo Freitas do Amaral

13h00 – Intervalo para almoço

14h30 – O PROFESSOR

Carlos Braumann – Aurora Carapinha – Ário Lobo de Azevedo

15h30 – Pausa café

15h50 – O VISIONÁRIO

Manuela Raposo Magalhães – Nuno Portas – Margarida Cancela d’Abreu – Viriato Soromenho Marques

17h10 – DEPOIMENTOS

Dom Duarte de Bragança – Miguel Sousa Tavares* – Pedro Roseta – Maria Calado – Alberto Vaz da Silva

17h45 – APRESENTAÇÃO DA FOTOBIOGRAFIA DE GONÇALO RIBEIRO TELLES - (EDIÇÕES ARGUMENTUM)

Fernando Pessoa – Alexandre Cancela d’Abreu

18h00 – ENCERRAMENTO

Mário Soares – Gonçalo Ribeiro Telles


ENTRADA LIVRE

* A confirmar

Fonte: Centro Nacional de Cultura

sábado, 3 de dezembro de 2011

Exposição de Desenho

"Antropomorfismo Urbano" de Luís Pinheiro Brum

Como já referimos aqui, decorreu ontem no Foyer do Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo a abertura da Exposição de Desenho “Antropomorfismo Urbano” de Luís Pinheiro Brum, evento organizado pela Câmara Municipal de Angra do Heroísmo e Culturangra EEM que estará patente ao público até ao dia 29 de Fevereiro de 2012.










Houve um Biscoitos de Honra ...com vinho dos Biscoitos!... :)


quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Efemérides açorianas – Dezembro


1. 1973 - O Sport Clube Angrense celebra o 44.º aniversário. 

2. 1998- Falece no Hospital de Ponta Delgada o ilustre açoriano Padre João Caetano Flores, pároco da freguesia da Ribeira Chã, concelho de Lagoa, ilha de S. Miguel.

3. 1973- Atraca ao cais do Porto das Pipas, em Angra do Heroísmo, o n/m “Monte Brasil”.

4. 1925- A freguesia das Fontinhas é fortemente fustigada por um furacão.

5. 1072- Iniciam-se as obras de ampliação da pista do aeródromo da Ilha das Flores.

6.1973 – O Ministério das Obras Públicas encomenda o projecto da 1.ª fase do prolongamento da Avenida Infante Dom Henrique (Avenida Marginal) de Ponta Delgada. Trabalhos que vão desde S. Pedro à primeira travessa da Calheta, por aterro do antigo varadouro, sendo a estimativa da ordem dos 71 mil contos.

7. 1969- É inaugurado, à Praça Eng.º Arantes e Oliveira, o novo quartel de Bombeiros Voluntários de Angra do Heroísmo 

8. 2000- É apresentado nos Biscoitos o “Vinho da Pedra”, o primeiro vinho de mesa da Adega Cooperativa dos Biscoitos C.R.L.

9. 1974- O solista de fagote George Zukerman dá um concerto na Igreja de N.ª Sr.ª da Guia (Igreja do Convento de São Francisco), em Angra do Heroísmo, O artista canadense foi acompanhado pela pianista Maria Margarida Magalhães de Sousa.

10. 1973- O Juiz Albano de Oliveira Lopes, natural da ilha de S. Jorge, que até agora exerceu o cargo de Juiz Corregedor do Circulo Judicial dos Açores, é promovido a Desembargador.

11. 1973- Depois de cumprida a missão obrigatória militar na província da Guiné, regressam aos Açores duas Companhias de Caçadores oriundas do B.I.I.18 (SPM 1578 e 1638). 

12. 1974- É nomeado vice-presidente da Comissão Regional de Turismo o Eng.º Manuel Henrique Coelho Gil.

13. 1986- É inaugurada a nova paróquia de Santa Luzia, concelho de Praia da Vitória.

14. 1971- Os presidentes Nixon e Pompidou deixam a Terceira após encontro realizado nesta Ilha.

15. 1975- O Grão-mestre da Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos participa, em Macau, na inauguração do Museu do Vinho e apadrinha a entronização dos confrades fundadores da Confraria dos Enófilos de Macau.

16. 1949- Com projecto do arquitecto Read Teixeira procede-se á execução de um novo edifício das Termas do Varadouro, na ilha do Faial.

17.1975- Organizada pelo Fundo de Fomento e Exportação um grupo de madeireiros da ilha da S. Miguel desloca-se à Alemanha Ocidental e França com a finalidade de exportarem para aqueles países, nomeadamente criptoméria.

18. Nasce no Pico da Pedra, ilha de São Miguel, o Professor Onésimo Teotónio de Almeida

19. 1974- Realiza-se no Sindicato dos Empregados de Escritório e Caixeiros do Distrito de Angra do Heroísmo uma reunião para debate da tabela de vencimentos.

20. 1974 - Dois aviões cargueiros, regime de fretamento, carregam na ilha de São Miguel, com destino a Lisboa, três mil caixas de ananases, no total de 18 mil frutos.

21. 1900- A freguesia das Fontinhas, concelho de Praia da Vitória, é fustigada por uma tromba de água. 

22.1986- É inaugurada a nova paróquia de Santa Rita, concelho de Praia da Vitória. 

23. 1963- É iniciada a edificação do Hotel de Angra.

24. 1759 – É sentido um grande abalo sísmico na ilha do Faial

25. 1960- É benzida nos Biscoitos a primeira pedra da Igreja do Imaculado Coração de Maria.

26. 1974- O Ministro do Equipamento Social e do Ambiente empossa o açoriano Eng. Agrónomo José Correia da Cunha presidente da Comissão Nacional de Ambiente.

27. 1842- Vindo das Bermudas chega à Horta o vapor inglês “Thames”.

28. 1858- É fundado na Horta o Asilo de Infância Desvalida pelo conselheiro António Vieira Santa Rita.

29.1971- Realiza-se na sede do Sport Club Lusitânia a festa do “Natal do Atleta”.

30. 1843- Entra no porto da Horta o brigue francês “Luiz Felippe”.

31. 1974 - Zarpa de Angra do Heroísmo rumo às ilhas de São Miguel e Santa Maria o navio “Ponta Delgada”.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

“Antropomorfismo Urbano”


Desenhos de Luís Pinheiro Brum

 No próximo dia 2 de Dezembro (sexta-feira), pelas 19 horas, Luís Pinheiro Brum apresenta uma Exposição de Desenho no Foyer do Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo – CCCAH, que é bem representativa do gosto caligráfico e da narrativa imaginária. Figuras improváveis que parecem saídas de uma Alice do País das Maravilhas em que os corpos antropomórficos se misturam com cabeças de coelhos e espantalhos, gralhas e outros. Paisagens extraídas dos sonhos, sumárias, são o palco do teatro do absurdo: as figuras são, deste modo, o elemento central e o motivo da acção, remetendo a objectos em situações limite e de contraste que nos fazem pensar.


Natural dos Biscoitos, Ilha Terceira, Luís Fernando Pinheiro Brum cedo demonstrou uma aptidão para o desenho. Então, em 2004, começa a estudar Arquitectura Paisagista em Lisboa. Com esta mudança inserem-se novos valores que irão marcar profundamente o seu desenho. No entanto é quando vai estudar e, mais tarde, trabalhar para Barcelona que começa a refinar um mundo próprio, com códigos e sinais próprios.  
A inocência e romantismo, possíveis de encontrar na Ilustração infantil do século XIX, como “O Vento nos Salgueiros”, os contos de Beatrix Potter ou os de Lewis Carroll. Estas referências ganham nova expressão como uma metáfora para sentimentos quotidianos.

•  2009. Instalação Artística no evento Konvent.0 em Barcelona 
•  2010. Licenciado em Arquitectura Paisagista no Instituto Superior de Agronomia 
•  2011. Seleccionado para a Mostra Nacional de Ilustração “Entre Pólos 2011” 
• 2011. Exposição de Desenho "Antropomorfismo Urbano" Foyer Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo


Fonte: CCAH

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Jantar dos Conjurados na ilha Terceira



À semelhança do que já aconteceu em anos anteriores, a Real Associação da ilha Terceira realiza o Jantar dos Conjurados no dia 30 de Novembro pf, pelas 19.30, no Restaurante Beira Mar, Rua de São João, em Angra do Heroísmo.

Inscrições na recepção do Hotel Beira Mar.


domingo, 27 de novembro de 2011

Jantar Vínico no Clube de Golfe da ilha Terceira


Numa organização da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo realiza-se, no próximo dia 30 (quarta-feira), no Clube de Golfe da ilha Terceira um Jantar Vínico na apresentação do Festival de Gastronomia "Sabores da Inovação – Terceira Best Food Awards 2012".

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

“Vinha Branca” – um vinho dos Açores



No dia 9 de Dezembro pf na Carmina Galeria (Outeiro do Galhardo, nº 13 – Ladeira Branca, concelho de Angra do Heroísmo), a partir das 15 horas, estarão em prova os vinhos tranquilos “Vinha Branca” do produtor/engarrafador biscoitense Dimas Simas Lopes. 
São parceiros deste evento o “Queijo Vaquinha” e a Eniciale – Comércio Distribuição Produtos Alimentares Lda., com sede no Parque Industrial da Ilha Terceira. 

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Adega Cooperativa dos Biscoitos C.R.L. apresenta o seu primeiro vinho



Clicar nas imagens para ler

In Revista Verdelho - Boletim informativo e cultural da Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos, n.º 5- Ano 2000.


Adega Cooperativa dos Biscoitos C.R.L. fundada em 17/04/1999 » aqui


domingo, 20 de novembro de 2011

Compilação da Imprensa (31)


Adega Cooperativa dos Biscoitos C.R.L. 

Fundada a 17/04/1999

Clique na imagem para ler

In Revista Verdelho (boletim informativo e cultural da Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos) n.º4, ano 1999.

Continua

Outras "Parras" :

Biscoitos de Lava para os “sete magníficos” (ano 2011) aqui

Planta da Freguesia dos Biscoitos (ano 1830) aqui

Plantas Vasculares nas Vinhas dos Biscoitos (ano 1971) aqui.

"A vinha perde-se e a população nada ganha" (ano 1994) aqui.

"Região de Biscoitos, nos Açores - Casas em vez de vinhas" - Santos Mota (ano 1994) - aqui.

"Biscoitos: que futuro? "-José Aurélio Almeida (ano 1996) - aqui.

"As Vinha dos Biscoitos" -Bailinho de Carnaval da Freguesia das Fontinhas. (ano 1997) aqui.

"Uma virada nos Biscoitos"(Açores)- (ano 1998) aqui.

O viticultor açoriano está envelhecido (ano 1998/99) aqui

“Provedor de Justiça dá razão à Confraria” (ano 1999) aqui.

“Museologia de Interpretação da Paisagem Ecomuseu dos Biscoitos, da ilha Terceira” - por Fernando Santos Pessoa (ano de 2001) aqui.

"Carta de risco geológico da Terceira" (ano ano 2001) aqui.

"Paisagem Báquica - Memória e Identidade" - Aurora Carapinha (ano 2001) aqui.

“A Paisagem Açoriana dos Biscoitos” - por Gonçalo Ribeiro Telles (ano 2002) aqui.

"Fadiga sensorial" (ano 2007) aqui.

"Defender curraletas!" (ano 2007) aqui.

"Tutores" (ano 2007) aqui.

"Rememorando as origens dos Biscoitos nos séculos XV e XVI"- por Rute Dias Gregório (ano 2008) aquiaqui e aqui.

“A Vinha, o Vinho dos Biscoitos e o Turismo” - por Margarida Pessoa Pires (ano 2009) aqui.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Pratos do Vulcão


Prato com módulo de 27,5 centímetros

A ceramista Maria Aurélia Rocha executou recentemente a encomenda de uma emissão de pratos numerados evocativos da erupção vulcânica de 1761 que afectou a região do chamado Pico Gordo, com escorrência de lavas sobretudo pela zona da freguesia dos Biscoitos, concelho da Praia da Vitória, da ilha Terceira.

Peças cerâmicas, estas, que logo se esgotaram, uma vez detectadas por visitantes que acharam muito interessante esta forma de memorar um acontecimento que ainda hoje marca a vida das gentes duma parte significativa da Ilha, nomeadamente na Canada do Mistério, freguesia dos Biscoitos, onde, ainda, existem vestígios de casas soterradas.

Paralelamente comemora-se a construção da Ermida do Divino Espírito Santo, edificada em cumprimento de um voto para que o fogo que ameaçava as propriedades de Matias da Silveira, e outras, acabasse. 

O pequeno templo foi de Mateus Borges do Canto e depois do comendador Círiaco Tavares da Silva que vendeu todo o prédio a Francisco Maria Brum, o “Senhor Chico Maria” que foi um dos mais dinâmicos e empreendedores empresários agrícolas da sua época.

Seu filho “Senhor Manelinho Maria” (Manuel Maria Gonçalves Toledo Brum) por virtude de alargamentos da via pública, viu-se obrigado a demoli-la e a reconstruí-la noutra posição, mas respeitando, sempre, ciosamente, o voto inicial, mantendo a família esta Ermida em impecável estado de conservação, já lá vão setenta e cinco anos.

J.B.B.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Noites de Bruma


 Noites de Bruma realiza-se de 24 a 26 de Novembro pf, no Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo.

FARRA

Exposição de Desenhos de Lilian Martins

Clique na imagem para ler

De 21 de Novembro a 16 de Dezembro de 2011 no Espaço Cultural do Núcleo de Estudos Açorianos – Universidade Federal de Santa Catarina – Brasil.


sábado, 12 de novembro de 2011

Abrantinos nos Biscoitos


Vindos de Abrantes visitaram o Museu do Vinho (Casa Agrícola Brum Lda.)  Célia, Bruno e João Maria.

Em território “Da Resistência” o simpático casal encontrou-se com o generoso “Chico Maria”.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

"Rio Virando Mar"


Amanhã (Sábado), pelas 21h00, na Carmina Galeria, será apresentado pelo Dr. José Carlos Vasconcelos o livro de poesia  "Rio Virando Mar" de Deka Purim.

III Encontro de Arqueologia das Ilhas da Macaronésia



Numa realização da ADCA- Agência para o Desenvolvimento da Cultura dos Açores,vai decorrer nos dias 13  e 14 de Novembro pf no pequeno Auditório do Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo o III Encontro de Arqueologia das Ilhas da Macaronésia.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Que futuro para o presente?


Realiza-se amanhã, 11 de Novembro, pelas 17h45, na sala dos reservados da Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Angra do Heroísmo (BPARAH) a conferência “Que futuro para o presente?”, proferida pelo Dr. José Carlos Vasconcelos, poeta, jornalista, crítico e advogado. Ler mais aqui (BPARAH).

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Compilação da Imprensa (30)


Vai um Verdelho?

“Os especialistas começam a avisar que o sector do vinho e da vinha nos Açores está a entrar num beco de saída difícil.

A situação é complexa, sobretudo porque as causas são múltiplas, não muito fáceis de apurar e, no geral, tendem a ser consequência de factores naturais praticamente incontornáveis.

A mão-de-obra parece estar na base da situação, mas num duplo sentido: falece a mão-de-obra campesina em quantidade e em disposição para ganhar o salário que a vinha e o vinho libertam, tal como desaparece a motivação dos proprietários para manterem vinhedos que no essencial apenas dão lucro ao ego, o que é pouco nos dias materialistas que correm.

São conhecidos casos de proprietários que “enterram” nas vinhas lucros de outras actividades apenas por prazer. É um modo de encarar as coisas com interesse cultural, mas nada tem a ver com a actividade económica que o sector tem de ser para se sustentar.

É pena que as coisas tenham chegado a este ponto, até porque os Açores têm potencialidades para produzir vinho de qualidade excelente, sobretudo se pensarmos em castas adaptadas há séculos.

O caso paradigmático é a casta Verdelho. Quem sabe trabalhar esta casta e o vinho que ela produz, armazena um vinho de excelência em qualquer parte do mundo.

Ao contrário de muita coisa, neste sector nem é fácil assacar responsabilidades ao governo, porque as criticas, pelo menos publicas, nem sequer existem e são conhecidos apoios distribuídos a quem apresenta projectos que possam ser credíveis.

Estaremos perante o inexorável passar dos tempos, que tudo transforma, matando umas actividades e dando novos rumos a outras.

Em qualquer caso, convém pensar o sector, sobretudo tendo em mente perceber o que se estará a passar e porquê.

À vossa saúde!”

In “ Primeira Coluna” - Diário Insular de 15 de Agosto de 2006


A colheita continua


Outras "Parras" :


Biscoitos de Lava para os “sete magníficos” (ano 2011) aqui

Planta da Freguesia dos Biscoitos (ano 1830) aqui

Plantas Vasculares nas Vinhas dos Biscoitos (ano 1971) aqui.

"A vinha perde-se e a população nada ganha" (ano 1994) aqui.

"Região de Biscoitos, nos Açores - Casas em vez de vinhas" - Santos Mota (ano 1994) - aqui.

"Biscoitos: que futuro? "-José Aurélio Almeida (ano 1996) - aqui.

"As Vinha dos Biscoitos" -Bailinho de Carnaval da Freguesia das Fontinhas. (ano 1997) aqui.

"Uma virada nos Biscoitos"(Açores)- (ano 1998) aqui.

O viticultor açoriano está envelhecido (ano 1998/99) aqui

“Provedor de Justiça dá razão à Confraria” (ano 1999) aqui.

“Museologia de Interpretação da Paisagem Ecomuseu dos Biscoitos, da ilha Terceira” - por Fernando Santos Pessoa (ano de 2001) aqui.

"Carta de risco geológico da Terceira" (ano ano 2001) aqui.

"Paisagem Báquica - Memória e Identidade" - Aurora Carapinha (ano 2001) aqui.

“A Paisagem Açoriana dos Biscoitos” - por Gonçalo Ribeiro Telles (ano 2002) aqui.

"Fadiga sensorial" (ano 2007) aqui.

"Defender curraletas!" (ano 2007) aqui.


"Tutores" (ano 2007) aqui.

"Rememorando as origens dos Biscoitos nos séculos XV e XVI"- por Rute Dias Gregório (ano 2008) aquiaqui e aqui.

“A Vinha, o Vinho dos Biscoitos e o Turismo” - por Margarida Pessoa Pires (ano 2009) aqui.