sábado, 29 de dezembro de 2012

OITO ANOS NA BASE AÉREA DAS LAJES

ILHA TERCEIRA (2)




Casa 238 no Bairro de sargentos, familiares de visita e amigos

O Navega, como todos lhe chamavam, era uma pessoa muito sociável, que com facilidade arranjava amigos por onde passava, sempre disponível, para ajudar quem precisava e também, sempre pronto para uma boa patuscada, um bom convívio… 

O Sr. Manelinho Brum era um grande amigo do meu pai, viveram muitos momentos de convívio com as famílias, quer em casa, quer ao fim de semana e quando o tempo o permitia, na Calheta dos Biscoitos. O Sr. Manelinho era primo do Sr. Luís Brum.

Adega do Professor Gaspar Lima, nos Biscoitos - Na Calheta dos Biscoitos, com o Sr. Manelinho e família.

Nos tempos livres gostava muito de ir à caça aos coelhos, perdizes, pombos bravos, codornizes…, sempre acompanhado pelo seu perdigueiro negro, o “Pirata”, conforme documentam fotografias da época.

Caçando coelhos nos cerrados



O tiro aos pratos era também um passatempo de que muito gostava.

Campo de Jogos de Angra do Heroísmo

Continua

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

OITO ANOS NA BASE AÉREA DAS LAJES

ILHA TERCEIRA


 Por: Luísa Navega
Como surgiram estas notas:

A elaboração das notas, a seguir, sobre o meu pai, que permaneceu em serviço na Base Aérea das Lajes durante oito anos, foi-me sugerida pelo senhor Luís Brum.


A família Brum, tem para mim um significado muito especial, pois se não fosse a simpatia, a simplicidade, a sensibilidade das pessoas boas, eu não poderia ter realizado um dos sonhos da minha vida, conhecer a Base Aérea das Lajes, onde nasci e vivi até aos dois anos de idade. Foi através da família Brum que conheci o senhor capitão Jorge Forte e o sonho tornou-se realidade, no dia 7 Junho de 2007!

As notas que se seguem foram elaboradas por mim, a filha mais nova, que vivo em Pombal, no Continente, sou casada, tenho dois filhos, o Pedro de 26 anos e o Tiago de 21 e sou educadora de infância. 
Desde criança que recordo, com frequência, uma quadra que estava inscrita numa caneca por onde bebia o leite:

As nove ilhas dos Açores
São nove pérolas do mar,
Nove jóias, nove flores,
Nove estrelas a brilhar.

Nota: As fotografias e outros documentos aqui apresentados estão em meu poder e da minha mãe.


NOTAS BIOGRÁFICAS

 O meu pai, Fernando Joaquim Navega dos Santos, era filho de Deolinda Pinheiro Navega e Joaquim Moreira dos Santos, nasceu em Amarante a 7 de Março de 1921 e faleceu em Lisboa a 27 de Dezembro de 1989. (Por curiosidade, o meu avô paterno foi militar da arma de Artilharia e na década de 20 do século passado, esteve a cumprir serviço em Angra do Heroísmo).

Entretanto como jovem que era e piloto, era muito frequentador dos bailes, dos arredores da Base Aérea de Tancos, onde tinha sido colocado, sem ser grande dançarino, mas grande mestre das acrobacias aéreas para impressionar as jovens ribatejanas…

Foi na pequena aldeia de Montalvo, concelho de Constância, distrito de Santarém, que namorou e casou a 1 de Junho de 1946, com a minha mãe, Júlia Morais Lourenço Navega dos Santos, que felizmente ainda está muito bem, com os seus 83 anos e que me transmitiu muitas informações para elaborar este pequeno documento. 

A 22 de Dezembro de 1948, já casado e com a filha mais velha chamada Deolinda, como a avó paterna e que nasceu em Constância a 12 de Fevereiro de 1947, foi transferido para a Base Aérea nº 4 nas Lajes, onde iniciou uma nova etapa da vida.


No bairro Oeste (ao fundo a casa preta, a dos pára-quedistas americanos)

Ao chegar à B. A. 4 foi instalado com a família no Bairro Oeste, dos Bidões, onde mudou várias vezes, sempre para melhor (ainda é prática hoje, conforme informação do capitão Jorge Forte), até que foi construído o bairro de sargentos, para onde depois se mudaram, para a casa nº238, que era mesmo ao lado do cinema, que hoje (infelizmente) já não existe.

Continua



sábado, 15 de dezembro de 2012

VINHO DOS BISCOITOS

Casa Agrícola Brum



"O Museu do Vinho dos Biscoitos, da Casa Agrícola Brum, na ilha Terceira, é uma homenagem à casta Verdelho, da qual resultam excelentes brancos de mesa e licorosos."

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Imposto sobre as mulheres casadas


“Um dia, em certa cidade americana, apareceu publicado no boletim official de um decreto da municipalidade lançando um imposto sobre as mulheres casadas.
Imagine-se o terrível effeito que isto produziu!
Se a indignação foi grande entre as casadas, maior foi ainda entre as solteiras, porque viram, por tal forma, gravemente compromettido o êxito das suas pretenções ao matrimónio.
Depois de um ruidoso comício, dirigiu-se o mulherio á municipalidade protestando clamorosamente contra a odiosa medida.
Alli, porém, a indignação cahiu por terra e se converteu em hilaridade, desde que lhes foi explicado que tudo se reduzia a um simples erro typografico.
No jornal saira Wives (mulheres casadas) em vez de Wines (vinhos).”

In “Novo Almanach de Lembranças Luso-Brasileiro para o ano de 1998” e na Revista Verdelho nº 8 ano 2003.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Compilação da Imprensa (32)


“Tendo em vista a certificação da qualidade dos vinhos produzidos na Região e a promoção dos vitivinicultores açorianos, a Comissão Vitivinícola Regional (CVR) vai lançar este mês, para publicação, uma Portaria que irá certificar a qualidade do vinho de mesa “Donatário”, da Casa Agrícola Brum (Biscoitos).”

Certificação de vinhos

“Donatário” com selo de qualidade ( ?????????)

In DI – Diário Insular de 5 de Fevereiro de 2003




Clique na imagem para ler



“VINHO DOS AÇORES COM NOTA ALTA"
In "O Escanção" nº 80- "Vinhos & Comidas", página 16 aqui


Outras "Parras" :

Biscoitos de Lava para os “sete magníficos” (ano 2011) aqui

Planta da Freguesia dos Biscoitos (ano 1830) aqui

Plantas Vasculares nas Vinhas dos Biscoitos (ano 1971) aqui.

"A vinha perde-se e a população nada ganha" (ano 1994) aqui.

"Região de Biscoitos, nos Açores - Casas em vez de vinhas" - Santos Mota (ano 1994) - aqui.

"Biscoitos: que futuro? "-José Aurélio Almeida (ano 1996) - aqui.

"As Vinha dos Biscoitos" -Bailinho de Carnaval da Freguesia das Fontinhas. (ano 1997) aqui.

"Uma virada nos Biscoitos"(Açores)- (ano 1998) aqui.

O viticultor açoriano está envelhecido (ano 1998/99) aqui

“Provedor de Justiça dá razão à Confraria” (ano 1999) aqui.

“Museologia de Interpretação da Paisagem Ecomuseu dos Biscoitos, da ilha Terceira” - por Fernando Santos Pessoa (ano de 2001) aqui.

"Carta de risco geológico da Terceira" (ano ano 2001) aqui.

"Paisagem Báquica - Memória e Identidade" - Aurora Carapinha (ano 2001) aqui.

“A Paisagem Açoriana dos Biscoitos” - por Gonçalo Ribeiro Telles (ano 2002) aqui.

"Fadiga sensorial" (ano 2007) aqui.

"Defender curraletas!" (ano 2007) aqui.

"Tutores" (ano 2007) aqui.

"Rememorando as origens dos Biscoitos nos séculos XV e XVI"- por Rute Dias Gregório (ano 2008) aquiaqui e aqui.

“A Vinha, o Vinho dos Biscoitos e o Turismo” - por Margarida Pessoa Pires (ano 2009) aqui.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Rótulos (3)



Proprietário vitivinicultor:  Dr. João da Cunha Vasconcelos
(chegou a produzir 122 pipas de vinho)
n. Praia da ilha Graciosa 26.10.1894
m. Angra do Heroísmo 03.09. 1981
Rótulo:  13,2 cm x 9, cm
Colecção:  Luís Brum

O rótulo é pode dizer-se o bilhete de identidade de todo o vinho bem nascido, criado e lançado no mercado para proveito e deleite dos consumidores, segundo definição Dr. Oliveira Figueiredo.


quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Livro do Tombo


 (foto da BPARAH)

O Livro de Tombo, que foi de Francisco do Canto e Castro Pacheco, da Casa do Provedor das Armadas e Naus da Índia, deu entrada na Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Angra do Heroísmo, entregue pelo Secretário Regional da Educação, Ciência e Cultura, Professor Doutor Luiz Fagundes Duarte ao Director da BPARAH, Dr. Marcolino Candeias.

Esta valiosa raridade foi recentemente adquirida pela Região Autónoma dos Açores, através da Secretaria Regional da Educação, Ciência e Cultura, e o seu custo foi inteiramente suportado por donativo de um cidadão residente em Angra do Heroísmo, que pretendeu permanecer anónimo.

1º fólio do Livro do Tombo (foto da BPARAH)

O livro, que é datado do século XVIII, comporta manuscritos de várias mãos, sendo o primeiro registo de 1754, é constituído por 140 folhas, onde se encontram registados bens, rendas, créditos e pagamentos relativos a morgadios instituídos por Pêro Anes do Canto, Provedor das Armadas.

O documento, que apresenta encadernação de carneira com cinta de pele, fez em tempos parte do arquivo da família Canto e Castro, que reunindo numerosos volumes e maços datados do século XV ao século XIX, escapou à destruição pelo fogo, por intervenção do ilustre angrense Dr. Eduardo Abreu (1855-1912), deputado da Nação e membro do Directório do Partido Republicano, na sequência da morte, na cidade do Porto, em Outubro de 1888, do último morgado de Nossa Senhora dos Remédios de Angra.



segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Aparência e Quotidiano



Encontra-se patente ao público, desde de 30 de Novembro pp, na Sala do Capítulo, do Museu de Angra do Heroísmo a exposição “Aparência e Quotidiano”. Ler mais aqui » MAH

sábado, 1 de dezembro de 2012

Efemérides açorianas – Dezembro (4)


Vila de Santa Cruz, Ilha Graciosa

1. 2007- Inicia-se na Sociedade Musical da Terra Chã, concelho de Angra do Heroísmo, o V Encontro de Grupos de Teatro.

2. 1974 – A Intendência de Pecuária prossegue a campanha contra a brucelose na ilha Graciosa

3- 1905- Falece José Cândido da Silveira Avelar, natural da Ilha de São Jorge.

4.1998- Realiza-se no Sul da Alemanha, uma série de sessões informativas sobre os Açores, promovidas pela Delegação de Turismo da Terceira. As três regiões vitivinícolas dos Açores, com o apoio da CVR – Açores, estiveram com os seus produtos. 

5. 1974- O Dr. José Orlando Noronha Bretão é o orador nas comemorações de mais um aniversário da fundação da Filarmónica da Freguesia de Santa Bárbara, ilha Terceira.

6. 1983- É inaugurado o Museu Etnográfico da ilha Graciosa.

7. 1971- Encontram-se nos Açores, durante a Cimeira Atlântica a decorrer na ilha Terceira, a fragata da Armada Francesa “Le Breton” e “Henri Poicaré”.

8. 1847- Nasce na Praia da Vitória Francisco Joaquim Moniz de Bettencourt (Mendo Bem), escritor e poeta.

9. 2002- É conferida à Confraria do Vinho de Verdelho dos Biscoitos a dignidade de Grande Amiga da Confraria da Região de Óbidos

10. 1848- Naufraga na baía da Horta o brigue americano “Helen”

11. 1999 - um avião ATP da SATA- Air Açores, despenha-se na ilha de São Jorge.

12. 1975- Falece em Angra do Heroísmo o cantador/ improvisador Francisco Rodrigues de Lima, “O Gaitada”.

13. 1919- Nasce na freguesia da Matriz, cidade da Horta, Francisco Joaquim Martins de Bettencourt.

14. Encontra-se na Terceira o realizador de cinema Francisco Manso, que naquela Ilha prepara um projecto para filme de longa-metragem a partir do romance “Terra do Bravo” do terceirense Carlos Enes, investigador de temas de história açoriana

15. 1996- É lançado em Angra do Heroísmo o livro”José Soares. O canto de um lavrador”, da autoria de Mário Duarte e Frederico Maciel.

16. 1871- Nasce, na Praia da Vitória, o Dr. António Joaquim de Sousa Júnior, médico, professor catedrático e político. 

17. 1971- Durante a Cimeira Nixon – Pompidou, duas personalidades da comitiva (Breslau dos Serviços de Informação das Forças Aéreas dos E.U.A. e Robert Manning, Secretário de Imprensa do Presidente) admiraram tanto os capacetes dos Bombeiros Voluntários de Angra do Heroísmo que acabam de serem presenteados com dois capacetes de luxo daquela Instituição Humanitária.

18. 2010- Realiza-se em Ponta Delgada a corrida de S. Silvestre, uma organização da Associação de Atletismo de S. Miguel. 

19.1901- Nasce na Praia da Vitória o Professor Vitorino Nemésio Mendes Pinheiro da Silva.

20. 1994- Numa organização do Museu de Angra do Heroísmo abre na sala de exposições temporárias do Palácio dos Capitães Generais a exposição de brinquedos,”Brincadeiras – brincar, aprender, conviver …”

21. 1913- Falece no Rio de Janeiro o polémico sacerdote micaelense José Joaquim de Sena Freitas.

22. 1971- Abre na Escola Técnica de Angra do Heroísmo a tradicional Exposição de Berços confeccionados pelas alunas e que posteriormente serão distribuídos por famílias menos abonadas. 

23. 2008- Falece em Lisboa, onde residia, Berta Brum Pereira da Silva, natural da freguesia dos Biscoitos, concelho da Praia da Vitoria.

24. 1971- É anunciada a instalação junto da ilha Graciosa, com o patrocínio da N.A.T.O., um polígono de investigação de acústica submarina.   

25. 1943- Nasce em Angra do Heroísmo José Guilherme Reis Leite, historiador e politico açoriano.

26. 1974- A Câmara Municipal de Angra do Heroísmo aceita propostas para adjudicação de venda de torrados e tremoços no Mercado do gado de São Sebastião. 

27.1971- Celebra-se no interior da “Gruta do Natal” uma Missa seguida de o baptismo da Carla Cristina Marcelino.

28. 1947- Numa organização do empresário Alfredo Ovelha, realiza-se na Praça de Toiros de S. João, em Angra do Heroísmo, uma corrida com toiros da ganadaria de Cândido José Ponceano. 

29. 1981- A Praça de Toiro de São João é vendida à Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, pela quantia de 3.500 contos. Actualmente funciona o Centro Cultural e de Congressos daquela cidade.

30. 1971- Surge nas bancas o n.º 1 da revista “Vulcano”, Suplemento do Arquivo Açoriano. 

31. 1982- Organizada pelo “Jornal da Praia” realiza-se na Praia da Vitória a Corrida de S. Silvestre