sábado, 21 de janeiro de 2017

José Mendonça Brasil e Ávila

José Mendonça Brasil e Ávila com Jácome de Bruges Bettencourt (09.01.2012)


Nasceu a 17 de Fevereiro de 1943 na freguesia de Santo Antão, do antigo concelho do Topo, pertencente atualmente ao concelho da Calheta, ilha de São Jorge, filho de Manuel Mendonça e Ávila e Amélia da Conceição Brasil e Ávila, neto paterno de Manuel de Sousa Ávila e Maria Delfina Mendonça, e materno de João Brasil de Sousa e Maria Amélia Brasil.
Faleceu, solteiro a 22 de dezembro de 2016, no Hospital de Santo Espírito, freguesia de Santa Luzia, cidade de Angra do Heroísmo. 
Seus pais, possuidores de alguns meios económicos, desejando proporcionar ao único filho uma mais conveniente educação e instrução, após os estudos primários, logo se transferem para a ilha Terceira, para lhe facilitar a frequência do ensino secundário, entrando este no Liceu Nacional de Angra a 3 de outubro do ano letivo de 1955/56, com o nº30 da turma B do 1º ano, constituída então por 40 alunos.
Conclui no ano letivo de 1963/64, o curso complementar liceal, ficando apto a ingressar no ensino superior.
Entretanto, em maio de 1965 interrompe os estudos para frequentar na Escola Prática de Infantaria de Mafra, o curso de Oficial Miliciano e seguidamente faz a especialidade de Armas Pesadas e Morteiros, sendo logo mobilizado para Angola, onde já Alferes, comanda um pelotão independente de morteiros 81, distinguindo-se sobremaneira, pelas suas qualidades excecionais de organização e formação humana num cenário de guerra difícil, sendo-lhe reconhecidos os serviços prestados num amplo Louvor.
Em 1968 matricula-se na Faculdade de Letras, iniciando o curso de História na Universidade Clássica de Lisboa e instala-se simultaneamente no Colégio Universitário Pio XII, tendo como colegas figuras que hoje se destacam a nível nacional, como Manuel Clemente, Cardeal Patriarca de Lisboa, Fernando Seara, antigo Presidente do Município de Sintra, renomado advogado e político, José Magalhães, também advogado e deputado esquerdista, entre outros.
Inicia a sua carreira como professor efetivo do ensino preparatório na Praia da Vitória em 1975, onde lecionou muitos anos, e depois em Angra até à aposentação.
Conheceu também, na década de 90 uma incursão de cinco anos como chefe das Divisões de Ação Cultural e Editorial, na Direção Regional dos Assuntos Culturais, a convite do então Secretário Regional da Educação e Cultura, Aurélio Henrique Silva Franco da Fonseca, feliz experiência que fez questão de abandonar com a saída deste governante, não obstante o novo titular Luiz Fagundes Duarte, desejar a sua permanência no cargo, mas ele entendia dever deixar o lugar para uma nova equipa.  
 Intercedeu muitas vezes na publicação de obras, ajudando os seus autores, até com a revisão integral dos textos, exigindo sempre que não lhe fossem feitas quaisquer referências, tal a sua modéstia…
 Ajudou igualmente, muitos estudantes de todos os ramos ou graus do ensino, reunindo pacientemente elementos para licenciaturas, mestrados, doutoramentos, etc., além de facultar por empréstimo livros de apoio, provenientes da sua biblioteca pessoal. 
 O seu espírito de bem-fazer, levou-o não poucas vezes a dar acolhimento em sua casa a doentes vindos de São Jorge para tratamento na Terceira. 
 Homem de bom coração, Amigo verdadeiro, deixou os seus bens de São Jorge a familiares e a sua residência em Angra, ao Lar D. Pedro V da Praia da Vitória.
 Aquilo que muito amava, os mais de 16 mil livros que levou a vida a reunir e assim constituir a sua valiosa biblioteca, que para as aquisições o fez levar 35 anos a receber catálogos de livreiros e alfarrabistas para enriquecimento de espécimes raros, legou à Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro, constituindo assim a maior doação feita por um particular a uma instituição pública deste género nos Açores. Paralelamente deram entrada na mesma biblioteca e arquivo, os seus trabalhos inéditos sobre as genealogias das gentes do Topo, e outras histórias de São Jorge, bem assim documentação diversa reunida em investigação ao longo de muitos anos.
 Possuía duas marcas de posse bibliotecárias – ex-líbris. Um desenhado pelo seu colega Álvaro d’Albergaria Vieira da Silveira em 1988, e o mais recente, de 2014, da autoria do arquiteto Dr. Segismundo Pinto. 
 Para além de sócio efetivo do Instituto Histórico da Ilha Terceira, era-o também do Instituto Açoriano de Cultura, e de outras instituições de caráter social, recreativo e desportivo.


Jácome de Bruges Bettencourt

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Compilação da Imprensa (59)

Uma casa centenária


In Fugas ( Público) 22- 01-2005

Por: Humberto Lopes



Clicar para melhor ler 



Casa Agrícola Brum com nova administração - 2010- Aqui

Garrafa Comemorativa do 125.º Aniversário da Casa Agrícola Brum - 2015 - Vídeo Aqui


Outras "Parras" :

Planta da Freguesia dos Biscoitos (ano 1830) aqui

Plantas Vasculares nas Vinhas dos Biscoitos (ano 1971) aqui.

"A vinha perde-se e a população nada ganha" (ano 1994) aqui.

"Região de Biscoitos, nos Açores - Casas em vez de vinhas" - Santos Mota (ano 1994) - aqui.

"Biscoitos: que futuro? "-José Aurélio Almeida (ano 1996) - aqui.

"As Vinha dos Biscoitos" -Bailinho de Carnaval da Freguesia das Fontinhas. (ano 1997) aqui.

Pisa e Mosto (1997) aqui

Sinónimos- Casta Terrantez da Terceira -Aqui

"Uma virada nos Biscoitos"(Açores)- (ano 1998) aqui.

O viticultor açoriano está envelhecido (ano 1998/99) aqui

“Provedor de Justiça dá razão à Confraria” (ano 1999) aqui.

“Museologia de Interpretação da Paisagem Ecomuseu dos Biscoitos, da ilha Terceira” - por Fernando Santos Pessoa (ano de 2001) aqui.

"Carta de risco geológico da Terceira" (ano ano 2001) aqui.

"Paisagem Báquica - Memória e Identidade" - Aurora Carapinha (ano 2001) aqui.

“A Paisagem Açoriana dos Biscoitos” - por Gonçalo Ribeiro Telles (ano 2002) aqui.

"Fadiga sensorial" (ano 2007) aqui.

"Defender curraletas!" (ano 2007) aqui.

"Tutores" (ano 2007) aqui.

"Rememorando as origens dos Biscoitos nos séculos XV e XVI"- por Rute Dias Gregório (ano 2008) aquiaqui e aqui.

“A Vinha, o Vinho dos Biscoitos e o Turismo” - por Margarida Pessoa Pires (ano 2009) aqui.

"O Aditivo"- por Francisco dos Reis Maduro-Dias -ano de 2009 Aqui

A Casa Agrícola Brum tem nova administração - ANO de 2010 AQUI

Biscoitos de Lava para os “sete magníficos” (ano 2011) aqui

"Acerca do vinho" -por Francisco Maduro-Dias (ano 2011) Aqui

Sócios da associação de viticultores da ilha Terceira -  Adega Cooperativa dos Biscoitos C.R.L.- não recebem há mais de 6 anos- Ano de 2011 - Video RTP  Aqui

Produtores engarrafadores e produção de vinho nos Biscoitos em 2012-  Aqui

Produção de vinho nos Biscoitos em 2015 - Aqui

Garrafa Comemorativa do 125.º Aniversário da Casa Agrícola Brum - 2015 - Video Aqui

sábado, 7 de janeiro de 2017

"Chico Maria" no Brinde de Ano Novo

 Palácio de Sant'Ana, em Ponta Delgada -Foto: GaCS/PC

O Presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, brindou com "Chico Maria" durante a recepção de Ano Novo aos representantes consulares e às autoridades civis, militares e religiosas dos Açores, que decorreu ontem,  Dia de Reis, no Palácio de Sant'Ana, em Ponta Delgada.

domingo, 1 de janeiro de 2017

EFEMÉRIDES AÇORIANAS- JANEIRO (9)



1. 1980- Das 2.241 habitações existentes na Vila da Calheta (ilha de S. Jorge) 533 foram arruinadas (ou irrecuperáveis) com o forte sismo que abalou as ilhas Terceira, S. Jorge e Graciosa. Na Vila das Velas das 2. 588 Habitações 41foram afectadas. Causando 59 mortos (Terceira) 10 (S. Jorge) e 10 desaparecidos, respectivamente 1 na ilha Terceira e 9 na ilha de S. Jorge.

2. 1967- A Loja do Coelho, à Rua da Sé, em Angra do Heroísmo, recebe novo sortido de linhas.

3.1980- Na ilha Graciosa o sismo do dia 1 p.p. das 2991 danificou 155 habitações. 

4.2008- Tal como anteriormente uvas Verdelho, Terrantez da Terceira e Arinto, 3 castas recomendadas e autorizadas na Região Demarcada dos Biscoitos, na ilha Terceira (Açores), continuam a serem pagas a 1,70 € o Kg no acto da entrega.

5.1986- O Congressista norte-americano Tony Coelho durante a sua estada na ilha Terceira deslocou-se à Igreja Paroquial do Porto Martins, concelho da Praia da Vitória, a fim de devolver ao Padre Rocha Melo um livro de registos de baptismos, o qual foi fotocopiado nos Estados Unidos, onde se encontram registados os seus avós maternos e paternos.

6. 1979- Ocorre o 50.º aniversário dos serviços radiológicos no Hospital de Santo Espírito, em angra do Heroísmo.

7.1843- Abre a Biblioteca da Horta.

8.2007- A revista francesa "La Vigne" nº 193 de Dezembro 2007, na secção Magazine - Etranger faz referência, nas suas páginas 92 a 93, às regiões vitivinícolas dos Açores.

9.1975- Segundo uma estimativa do Serviço Nacional de Emprego, no final de Dezembro p.p. havia no Continente e Ilhas , 177 mil trabalhadores desempregados, correspondentes a 56% da população activa, de acordo com um estudo agora publicado pela  Secretaria de Estado da Emigração.

10.2008- É “Dia de Amigos”. Começa o Carnaval nos Açores.

11. 1846- É inaugurada em Ponta Delgada, ilha de S. Miguel, a Biblioteca Municipal.

12.1856- Realiza-se a primeira Exposição de gado na Horta, ilha do Faial.

13.É fundada a Confraria do Vinho do Pico. Entre várias confrarias marca presença a Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos (ilha Terceira).

14.1987- Encontra-se na Ilha Terceira o Secretário de Estado Norte Americano George Shultz. 

15.1975- Termina a inscrição de beterraba sacarina para a campanha deste ano. A SINAGA – Sociedade de Industrias Agrícolas Açorianas, SARL paga a $90/Kg.

16. 1973- Segundo noticia vinda a lume os Açores Industrial, Lacticínios: 1.455 empregados – 42.000 contos de Salários – mais de 3 milhões de horas de trabalho.

17.1987- Abre em Angra do Heroísmo, Rua da Esperança n.º 21, a Agência de Viagens e Turismo TERTUR, propriedade de Ana Maria Costa.

18.1975- Passaram durante o passado mês de Dezembro pela Estação Agrária da Ilha Terceira 815 pessoas. Por motivos de produtos dos viveiros :307;  para assuntos de venda de ervagens:53;venda de batata316;para inscrição de sanidade vegetal:92; idem para inquérito às exigências de eucalipto:18;para a cedência de luzerna oferecida pelo Programa People to People: 29.  

19.1970- Falece na sua residência, à Rua da Pereira 54 em Angra do Heroísmo, o Mestre António da Costa, o “Mestre António Fininho”, excecional marceneiro/torneiro e Mester na Oficina da Escola Comercial e Industrial daquela cidade. Pai de António Dacosta.

19.1974- O Distrito da Horta exportou, durante o ano de 1973, 9. 735 cabeças de gado, sendo 3.893 do Faial, 4.125 do Pico, 1.577 das Flores e 140 do Corvo.

20.1974-Segue para Lisboa o Regente Agrícola (da J.G.) Nuno Manuel da Silveira Santos Costa, onde vai frequentar o Centro Nacional de Estudo Vitivinícolas, na Estação Agronómica de Oeiras- Direcção Geral dos Serviços Agrícolas. O objectivo é fazer o estudo de castas europeias com vista à sua introdução na ilha Graciosa. Este estágio é consequência da visita aquela Ilha do Prof. Eng. José Leão Ferreira de Almeida e Fernando Ricardo da Silva Cabo.

21-.1837- Grande terramoto ocorrer na ilha Graciosa afectando grandemente a Praia e freguesia da Luz.

22. 1848- É aberto em Ponta Delgada o Teatro Santa Cecília.

23.1975- Termina no Museu de Angra do Heroísmo o curso Livre de Gravura dirigido pela Artista Camila Loureiro, que aquela Ilha se deslocou por iniciativa do Museu, com o patrocínio do Instituto Histórico da Ilha Terceira. Frequentaram o curso mais de 600 alunos.

24.1974- Vindo de S. Miguel encontra-se em Angra do Heroísmo a carregar, com destino ao continente,150 cabeças de gado bovino.

25.1974- Duas traineiras se destacaram na pesca do atum em 1973: A Carmona (87.069 tonelada, registada na Capitania do Porto da Horta, e a Ilha Lilaz (40.845 toneladas), registada na capitania do porto de Angra, pertencentes à Fábrica de Conservas TERCON.

26-1986- É criada estatutariamente a Associação Regional dos Criadores de Ovinos dos Açores, com sede em Vila do Porto na ilha de Santa Maria. 

27. 1946- É aberto em Ponta Delgada o Campo de Jácome Correia (Relvão).

28.2008-São eleitos em Assembleia Geral os novos corpos directivos da Real Associação da Ilha Terceira.

29.1973-Segundo o INE o aeroporto das Lajes em 1972 movimentou 976 aviões civis e 693351 passageiros.

30.1975- A Lavoura Terceirense, através de um cidadão vilanovense, preocupada pela praga dos pardais apela à Comissão Administrativa da Junta Gera um combate eficaz. 

31.2008- É Dia das Comadres (quinta-feira de Comadres) no Arquipélago dos Açores.


Fonte: Arquivos de José da Silva Maya, Álvaro de Castro Meneses, “Revista Ilha Terceira” e “Almanaque Açores”.